CUNHA ATACADO DE NOVO

 CUNHA SE DESTACA. NOVO ATAQUE É ORQUESTRADO...

 00_-_Eduardo_cunha_e_ReynaldoUma vez, duas vezes, três vezes... Acabou virando rotina...

Uma vez: Eduardo Cunha viaja pelo Brasil em busca de apoios para sua candidatura a Presidente da Câmara e seu nome é destacado como favorito contra Arlindo Chinaglia candidato do Planalto imposto pelo Ministro Mercadante e a Presidente Dilma Rousseff. Na primeira semana de janeiro “vaza” na imprensa, declaração do “carregador de malas de dinheiro” do doleiro Alberto Yusseff, o policial federal “Careca”, de que uma mala de dinheiro foi entregue a Eduardo Cunha em sua casa no Rio de Janeiro...

O MNBD faz a primeira defesa de seu defensor contra o exame da OAB e aponta as incongruências da acusação, leia e recorde. Clique aqui. 

A Imprensa investiga o endereço, confirma que Cunha nunca morou no endereço, o advogado de Yusseff GARANTE que seu cliente NUNCA citou Eduardo Cunha, “Careca” muda seu depoimento e a questão é dada como finalizada pela imprensa...

 

cunha_festeja_vitoriaDuas vezes: Cunha já eleito presidente, na primeira semana de março de 2015, após impor as primeiras das várias derrotas ao Palácio do Planalto, é colocado na LISTA DE JANOT com pedidos de abertura de inquéritos e MESMO ESCLARECIDA E MODIFICADA pelo delator “Careca” e negada pelo doleiro Yussef, é a mesma denúncia da “mala de dinheiro para Cunha” que embasa o pedido de inquérito de Rodrigo Janot.

O MNBD novamente entra na defesa de Eduardo Cunha e registra estranheza em abrir inquérito para investigar algo já DESMENTIDO pela imprensa, pelo advogado de Yusseff e pelo próprio delator, o PF “Careca”... Recorde a matéria em nosso site sobre o ataque. Clique aqui. 

Destaque-se que, a mesma deleção do “carregador de malas” cita uma entrega de outra mala de dinheiro pessoalmente para Antonio Anastasia (outro defensor dos bacharéis) quando era GOVERNADOR de Minas Gerais.

Cunha destaca que foi “colocado” na lista de Janot para o Planalto colocar um parlamentar de destaque da OPOSIÇÃO junto com os nomes da base do Governo Dilma e que ele foi de “carona”.

Importante destacar o registro inconteste feito pela imprensa de um encontro suspeitíssimo entre o Ministro da Justiça José Eduardo Cardoso com o Procurador Geral Rodrigo Janot, nas vésperas da divulgação.

 

Três Vezes: Eduardo Cunha faz uma “revolução” na Câmara e coloca em votação projetos – que não interessavam ao Planalto – que estavam arquivados há mais de década nas comissões, como o caso da Terceirização, da Reforma Política, a Lei da “bengala” (que tirou de Dilma a possibilidade de escolher mais 5 ministros no STF e vários no TJ) e da Redução da Maioridade Penal, abre comissões especiais com assuntos que o Planalto “detesta”, como o fim da lei do desarmamento, a redução para 20 (e não os atuais 39) ministérios do Governo Dilma e o fim da exclusividade da presidência na indicação de Ministros do STF, por exemplo...

15_-_Osmar_Serraglio_e_reynaldo_closeInteressante destacar, que nesta última questão, o Deputado Osmar Serraglio (PMDB/PR), signatário do PL 8.220/14 da GRATUIDADE, inseriu uma posição após vários pedidos de emendas dos parlamentares da comissão, onde acaba com a possibilidade de REELEIÇÃO do Procurador Geral da República, atingindo diretamente Rodrigo Janot.

 

PERSEGUIÇÃO EXPLÍCITA

Reynaldo_e_Dr._Janot_-_olhos_nos_olhos_-_closeRodrigo Janot é um ícone para os bacharéis na luta contra o exame por seu parecer demonstrando a inconstitucionalidade do exame da OAB.  Sempre o defendemos e acompanhamos sua chegada a chefia da Procuradoria...

Porém, após ele Nâo acusar Dilma ao pedir as aberturas de inquéritos contra 47 políticos com foro privilegiado e NÃO acatar pedidos legítimos de investigação contra Dilma, requeridos legalmente por partidos de oposição, Janot deixou uma dúvida se a decisão era jurídica ou política.

Isto porque, um presidente não pode – determina a Constituição Federal – ser PROCESSADO por fatos alheios ao exercício de seu mandato. Não diz nada quanto a ser investigado a fim de responder a processo APÓS o exercício do mandato, como regra legal insculpida nos princípios básicos do direito...

Mais, ao ter encontros a portas fechadas com o Ministro da Justiça às vésperas de encaminhar os pedidos de abertura de inquéritos onde excluía a Presidente Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e colocar uma denúncia RENEGADA pelas partes contra Eduardo Cunha para abertura de inquérito, Janot deu TODAS as razões para Cunha alardear o cunho politico de sua atuação...

Acrescentando que Rodrigo Janot está em campanha para nova condução a Procurador Geral que acontece em setembro, ou seja, há apenas 2 meses à frente, ficam mais fortes as dúvidas quanto a decisões politicas...

 

DENÚNCIA DE VÉSPERA...

Está pronta a gravação do vídeo para ser apresentado em cadeia nacional de rádio e televisão, com o pronunciamento de Eduardo Cunha sobre o 1º semestre de atuação do Poder Legislativo, que irá ar hoje, dia 17 de julho.

Cunha já sabia que algo estava sendo preparado para ataca-lo por parte do Planalto e que partiria da Operação Lava Jato, tanto que teve conversas com o Vice-Presidente Michel Temer no inicio da semana.

Na 5ª, dia 16, no período da tarde (16h) a imprensa noticia a declaração (na 4ª oitiva realizada) do Consultor da Toyo Sental, Júlio Camargo ao Juiz Federal Sérgio Moro de que, por meio de Fernando “baiano” Soares, apontado como o interlocutor do PMDB no Petrolão, teria repassado “5 milhões de reais a Eduardo Cunha”. Veja o vídeo com a afirmação de viva voz no site do Jornal A Folha de São Paulo. Clique aqui. 

Deputado_Eduardo_Cunha_-_em_coletivaMenos de 1 hora após, na Câmara, Eduardo Cunha nega as acusações, acusa o Procurador da República a obrigar o delator a mentir para incriminá-lo e destaca que não basta acusa-lo – na véspera de seu pronunciamento – sem apresentar provas do que afirma. Veja o vídeo no site do Portal Uol. Clique aqui. 

Houve festa no Palácio do Planalto no mesmo horário, conforme registrado pelo jornalista Reinaldo Azevedo da Revista Veja em seu blog.Reinaldo destaca mais, é curioso que em depoimentos anteriores, havia NEGADO qualquer envolvimento de Eduardo Cunha na questão das sondas marítimas e agora, afirma com TODAS as letras... Leia a matéria, clique aqui. 

 

MNBD DEFENDE CUNHA E ACRESCENTA

Extremamente interessante é a postura do Juiz Sérgio Moro nesta oitiva com Júlio Camargo. Ele faz uma pergunta objetiva que encaminha Júlio a acusar Cunha. Os (aparentes) advogados de Júlio cochicham entre sí como se pode observar no vídeo da audiência aos 3 minutos da gravação.

Assim que o nome do parlamentar é citado, DIFERENTEMENTE do que o Juiz Sérgio Moro SEMPRE fez, ele NÃO interrompe a fala do oitivado e o permite concluir, citando OUTRA vez o nome do Deputado Eduardo Cunha...

Ora, Sérgio Moro NUNCA permitiu que os acusados dissessem nomes de autoridades com foro privilegiado, pois tais registros o OBRIGARIA a remeter os autos para o Supremo ou para o Superior Tribunal de Justiça, onde quer que a autoridade citada tivesse seu foro privilegiado, tirando assim os autos de suas mãos. ESTE FOI O PROCEDIMENTO PADRÃO DE SÉRGIO MORO ATÉ ENTÃO.

O que teria motivado esta mudança? Um pedido de Rodrigo Janot para os autos seguirem para o STF ???

Juiz_Sergio_MoroOutro fato estranho observado no vídeo, é que NENHUM dos presentes filmados, mostra o mínimo de surpresa ou mudanças faciais que demostrem quaisquer mudanças de atitude com a mudança no comportamento do Juiz Moro ou com a menção explicita e repetida do nome Eduardo Cunha. Será que todos aguardavam a citação do nome Eduardo Cunha e a permissão NESTE depoimento por parte do Juiz Moro?

O Juiz Sérgio Moro tem tido posições inatacáveis e o Procurador Geral Rodrigo Janot tem agido muito bem fundamentado, mas Janot teve alguns pontos estranhos – acima citados – e Eduardo Cunha o tem atacado virulentamente. Janot tem a simpatia da maioria dos membros do Ministério Público, que se sentem atacados por Cunha quando este ataca Janot, exatamente quando Janot busca recondução ao cargo... O conjunto levanta uma suspeita...

Um brocardo (ditado) jurídico aplicado sempre no Direito determina o “in dúbio pro réu” (em dúvida, decide-se em favor do réu), neste caso, com dúvidas com bom fundamento, o MNBD não tem dúvidas: Estamos ao lado e em defesa do nosso defensor Eduardo Cunha.

simbolo_oficial_MNBD_-_OABBNão há total imparcialidade, pois somos uma parcela da sociedade defendida pelo parlamentar e que – o conhecendo – o defenderemos sempre quando não houver provas incontestáveis de sua culpa. E neste momento há a palavra de um delator, em sua 4ª oitiva, que antes negou e agora afirma dinheiro sujo para Cunha e em uma conjuntura estranha, com mudança nas atitudes do Juiz Moro e em um momento de campanha do Procurador Geral que busca a indicação de Dilma para sua recondução, contra um “inimigo” do Procurador e da Presidente Dilma...

Repetimos, depois de 3 momentos de acusações aparentemente “escolhidos a dedo” pelo Palácio do Planalto, o MNBD está ao lado e em defesa de Eduardo Cunha.

 

Nós temos



Visitantes desde 24/10/2011:

001351483
Hoje:
No mês:
Total:
129
14247
1351483